fbpx

A pandemia teve efeito duro sobre os negócios de importação da South Service Trading, empresa do grupo Exicon, de Porto Alegre. Todavia, passados nove meses do decreto da quarentena, a recuperação já está acontecendo. A previsão é de um incremento até o final do ano no volume de negócios de exportação e de importação conforme  o diretor-executivo da empresa, Alexandre Bücker de Souza.

Até setembro, a trading teve um crescimento de 18% nas exportações em comparação a igual período do ano anterior, o que compensou a queda de 30% nas importações derivada da alta do dólar e da desvalorização do real. 

Mais uma vez o modelo de negócios do Grupo Exicon atuou como um anteparo diante da crise. A solução integrada dos serviços de garantia de crédito, além de financiamento e logística, fez um suporte fundamental para as  exportações de seus clientes. Entre esses, ele cita as fábricas de calçados masculinos e femininos, móveis de pinus e compensados de pinus e madeiras de Santa Cataria e do Rio Grande do Sul. Mesmo na fase aguda da pandemia, essa clientela, que reúne mais de 60 indústrias e mais de seis mil empregos,  manteve e até mesmo ampliou seus negócios com o exterior e também reteve os empregos.

 Outro pilar que contribuiu para a recuperação nos negócios é a plataforma digital do Factors Chain International (FCI)  —  ferramenta capaz de ampliar os negócios na área de cobertura de risco de crédito internacional   — , que se mostrou  ainda mais importante do que já era no que tange proporcionar segurança total dos valores exportados.

Fale conosco

We're not around right now. But you can send us an email and we'll get back to you, asap.

Não pode ser lido? Mude o texto. captcha txt