Notícias

As missões da ADVB/RS no mundo corporativo

O VP Administrativo-Financeiro da atual gestão, Sérgio Fioravanti, combina a experiência acadêmica com a profissional. Ciente da responsabilidade da ADVB/RS no mundo corporativo, ele aposta na comunidade, nos colaboradores e clientes para 2018. Conheça um pouco mais o perfil do VP:

Quem é Sérgio Laurimar Fioravanti?
Sérgio Fioravanti – Especializado em Finanças Empresariais, tem 28 anos de experiência profissional em auditoria interna e externa. Possui 18 anos de experiência acadêmica e é sócio da empresa de Auditoria e Consultoria Baker Tilly do Brasil SS, que atualmente é a 8ª no ranking. Foi presidente do IBRACON (Instituto dos Auditores Independentes do Brasil/RS e SC – Gestão 2009/2011) e vice-presidente da ADVB/RS (Associação dos Dirigentes de Vendas do Brasil – Atual e Gestões 2017/16,2015/14 e 2004 a 2008). Atualmente, é Conselheiro de Administração e Membro do Comitê de Auditoria de Cias Abertas, Conselheiro Fiscal do BNDESPAR e possui Registro no Cadastro Nacional de Peritos Contábeis, atuando como assistente técnico em quatro processos de lucros cessantes e/ou dissolução de sociedade. Além disso, é professor e orientador de trabalhos de graduação e pós-graduação em cursos de Contabilidade, Controladoria e Finanças, Gestão de Tributos e Auditoria e Perícia.


Qual sua relação prévia com a ADVB/RS e o que significa estar à frente da VP Administrativo-Financeiro?
Sérgio Fioravanti – Fui apresentado ao projeto ADVB/RS há mais de 10 anos, visando contribuir com as minhas experiências profissionais. Entendo que todos podemos colaborar para a sociedade civil organizada compartilhando conhecimentos e fortalecendo os laços de integração das entidades com as pessoas em prol dos benefícios mútuos de contribuição ao mundo corporativo e aprimoramentos profissionais.

Como avalia a importância da entidade em um momento de intensa transformação tecnológica?
Sérgio Fioravanti – Sei que a ADVB/RS tem uma responsabilidade enorme nesse quesito pelo dever de conduzir de forma objetiva e ativa a disseminação das melhorias técnicas e/ou tecnologias para aplicação no mundo corporativo. É também responsabilidade seguir contribuindo fortemente para as inovações a serem aplicadas às empresas que devem estar à frente do seu tempo, focando na sua sustentabilidade de mercado e adoção de ferramentas inovadoras na relação com o seu público consumidor.

Como vê o ano de 2018 para os negócios, a partir do cenário de copa do mundo e eleições?
Sérgio Fioravanti – Entendo que copa do mundo não interfere no nosso cenário econômico de forma relevante, pois é bom tão somente para alguns segmentos. Entretanto, o atual estágio de instabilidade da política brasileira, combinada com incerteza sob o ponto de vista dos potenciais presidenciáveis, pode indicar cenários não tão otimista sob o ângulo de potenciais e substantivas mudanças. Dependemos de um congresso nacional viciado em política de troca de favores, o que não agrega em nada na construção de um país sólido sob a ótica de investimentos. Desta forma, resta acreditar na sempre obstinação dos empresários e empreendedores locais que não se deixam influenciar por políticos e acreditam na força das suas ações, na sua comunidade, na dedicação dos seus colaboradores e no retorno das satisfações dos seus estimados clientes, que viabilizam recursos para novos investimentos.

Últimas Notícias:

Veja todas as notícias